quinta-feira, 24 de março de 2011

O que eu fazia 5 anos atrás

O que eu fazia cinco anos atrás, a criavidade no trabalho, ilustração by ila fox

Há cinco anos eu era uma recém formada enfiada num emprego enfadonho onde minha rotina era fazer propagandas e diagramação de lista telefônica. A parte mais criativa do meu dia era escutar mp3 no meu caminho de volta pra casa. E não pense que a situação melhorou, esta rotina se repetiu em todos os outros lugares em que trabalhei.

É triste ver como as empresas exigem que o pobre funcionário tenha a criatividade de um publicitário premiado sem fazer nada para que isso seja possível. Depois acham ruim quando o pessoal não "veste a camisa" e prefere passar horas jogando Paciência. Não existe plano de carreira, não se investe em treinamento e bons equipamentos, não se incentiva a criatividade, e o RH funciona apenas como assistente administrativo.

“Posso pesquisar referencias na internet?” - Não pode, a internet é bloqueada.
“Podemos trocar este mouse?” – Não temos verba para isso.
“Posso por uma foto na minha mesa?” – Isso não é comportamento profissional.

Ufs, nem quando eu era criança escutei tanto não!

O pessoal fazia milagres para conseguir ter uma catarse criativa olhando para a parede bege do escritório… ser criativo naquele ambiente estéril era quase como esperar que uma samambaia nascesse no meio do Atacama. Impossível.

Foi por estas e outras que sai deste mundo corporativo. Se eu continuasse mais 5 anos naquele ritmo o meu cérebro murchava feito uma alface esquecida no fundo da geladeira.

Sou uma pessoa mais feliz e realizada profissionalmente depois que passei a ganhar meu dinheiro por conta própria. E diga-se de passagem, MAIS que no tempo em que eu trabalhava das 8 às 18, de segunda a sábado. E a qualidade de vida então? Não madrugar no ponto de ônibus. Poder tomar meu café calmamente. Poder trabalhar de casa, ou de qualquer lugar, sem ninguém te torrando as paciências não tem preço!

Toma essa ex-chefes! Sejam criativos agora. Rá!!!

49 comentários:

  1. Carla Conceição (RJ)24 março, 2011

    Muito bom, Ila! Home office é o que há. Seu post me lavou a alma.
    Também já trabalhei em um ambiente absolutamente castrante... Empresa de tradução com internet bloqueada... Como se os dicionários de papel dessem conta da pesquisa necessária ao trabalho. Fora que descontavam até o último centavo de quem se atrasasse, nem que fosse 2min. Eu tb madrugava no pto de ônibus. Se saísse de casa às 6h30 eu ia chegar atrasada, pra vc ver.

    Agora não quero outra vida, não. Trabalho em casa, controlo meu horário, posso acompanhar o crescimento da minha filhinha, me alimentar melhor. Nem sei mais o que é transporte público no RJ!

    sugestão: pq vc não cria uma página do seu blog no FB?
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente a morte da criatividade. Apesar dos meus professores falarem que não precisamos de criatividade, de qualquer forma é necessária referências. E como você acessa referências se a internet é bloqueada... E se não podem trocar um mouse, duvido que tenho uma biblioteca de referências...

    Mas é ótimo ver que você se livrou dessa vida e agora é um pessoa muito critiva e mais feliz! *-*

    ResponderExcluir
  3. Conheci hoje seu blog e adorei. Amo esses desenhos. Tem algum curso especifico para aprender esses desenhos que vc faz?? Noivinhos?? já virei fã e vou voltar sempr.
    abraços.

    ResponderExcluir
  4. ahhhhh amei o seu texto. Parece que vi meu filho falando comigo. Alguns dias atras conversamos e ele reclamou da FALTA de entusiasmo dentro do trabalho atual.Ele cursa publicidade e propaganda e trabalha numa metalurgica. Dificil explodir em criatividade e ter em sua volta um monte de gente olhando num ponto fixo. Vou compartilhar isso com ele. bjs.

    ResponderExcluir
  5. Carla,
    Lembro que nesta empresa que trabalhei eles descontavam a partir de 5 minutos. Sendo que o contrário, só consideravam hora extra a partir de 30 minutos de trabalhos a mais! dois pesos e duas medidas. :-/

    Ingrid,
    Dar até dá para ser criativo sem buscar inspirações, mas dá mais trabalho e o trabalho se torna mais lento, mas isso as empresas não querem ver né? :-P

    Yara,
    Até onde sei não tem curso não, eu já desenhava, então não foi complicado pra mim. ;-)
    Mostre para seu filho sim, espero que ele consiga encontrar uma saída oara esta falta de entusiasmo no trabalho. ;-)

    ResponderExcluir
  6. Ótimo texto Ila! sempre nos inspirando! concordo em genero, numero e grau!

    ResponderExcluir
  7. Oi Ila!

    Estou em busca do sonho de trabalhar por conta própria, e ler suas histórias me fizeram acreditar nesse sonho!

    Obrigada por dividir suas experiencias!

    bjo

    ResponderExcluir
  8. Michele,
    Ae! ;-)

    Fabiele,
    Acho que muitos sonham com isso né?
    Ser freelancer também tem seu lado ruim. Não temos benefícios, nem garantias, nossa renda é instável, e se a pessoa não for no minimo organizada e economica vai afundar. Tem que ter muita disciplina se quiser trabalhar por conta própria. ;-)

    ResponderExcluir
  9. Bae! Muito bom!
    Belo post, retratou bem uma realidade de muitas empresas que trabalham (tentam) com criatividade.

    Mas trabalhar em casa tem as suas desvantagens né... é preciso ser bem disciplinado pra não cair em tentação durante o trabalho Heh..

    Tambem trabalho em casa, mas gostaria e pretendo trabalhar em um ambiente legal com minha equipe do Multiverso :}

    Sem paredes beges!

    ResponderExcluir
  10. Fernando,
    Sim, foi o que eu disse pra Fabiele, tem que ter muita disciplina. Nós somos nossos próprios chefes, temos que estar sempre nos policiando, ser organizados, nos cobrar... Eu trabalho até mais que antes, mas como é algo que gosto, eu faço com o maior prazer. ;-)

    ResponderExcluir
  11. Como vc disse aqui nos comentários, tem o lado ruim também, como tudo na vida! rs
    Mas acredito que quando vc faz algo que se identifica e gosta, naturalmente vc vai se cobrar mais, ter disciplina... se não, é pq no fundo a pessoa não tá afim de nada, né?
    Pra ter resultado tem que TRABALHAR, seja como freelancer ou não!!

    ResponderExcluir
  12. Juliana,
    Ah e o que mais tem neste mundo é gente que quer ter dinheiro sem trabalhar ou as custas dos outros! :-P
    Trabalhar no que gosta não faz só bem pro bolso, faz bem pra saúde e pra alma também. ;-)

    ResponderExcluir
  13. Ñ ter verba pra trocar um mouse? Realmente essa eu ñ entendi...
    Ainda bem q tu se deu bem na vida, com o seu próprio esforço.
    Como vc disse: TOMA ESSSA EX-CHEFES!!!!

    --
    Le

    ResponderExcluir
  14. Le,
    Hehe é que ja aconteceu comigo de pedir para trocar um mouse que estava com defeito e recusarem por "falta de verba" para isso. Absurdo né?
    Ja tive que aguentar muito monitor velho, computadores lentos e mesas e cadeiras pouco ergonomicas. E AI se reclamasse! hehe

    ResponderExcluir
  15. Oi Ila.... Leio o seu blog faz tempo mas esta é a primeira vez que eu escrevo nele. (Vai desculpar se o meu português não é ótimo - a minha lingua e o espanhol e sou de Costa Rica) :)

    Eu não teve uma sorte tão amalucada com os meus empregos. Foi desenhista web por muitos anos e agora faço logística e planejamento de projetos online (UX). Os projectos são grandes e tenho muita liberdade criativa neles... mas ao final, sempre fica alguém cima que diz você o que pode fazer (ou não) com teu tempo ou o projecto. E após quinze anos de trabalharem para outros estou procurando economizar dinheiro para empreender finalmente pela minha conta. Não tenho já dívidas, fico solteiro, sou disciplinado... sei que este é o momento ideal. Espero isso acontecer o ano que vém. Abraço. :)

    ResponderExcluir
  16. Oi Beto!
    Não se preocupe que seu português é melhor que de muito Brasileiro viu? hehe ;-)
    Espero que logo possa realizar seu projeto de trabalhar por conta própria, e pelo visto tem tudo para dar certo! boa sorte! :-D

    ResponderExcluir
  17. Estou desempregado atualmente e faço bicos em casa de projetos e instalação de redes informática e elétrica e estou sentido a mesma coisa que vc sente como essa tal de "liberdade".Mas AINDA moro com os meus pais e eles sempre vivem falando que não é um trabalho "decente" de trabalhar em casa
    Pra eles emprego de verdade é aquele com chefe,horário e salário certo no fim do mês em uma GRANDE empresa renomada...

    ResponderExcluir
  18. Rodrigo,
    Esta geração mais antiga é presa nuns conceitos que até faziam sentido há 50 anos, mas hoje já ficou caído.
    Se dependesse da minha familia eu estaria trabalhando de carteira assinada em alguma empresa sufocante e estudando feito uma condenada para concursos... :-/
    O lado bom de vc morar com seus pais é que vc pode economizar mais. Seria complicado se jogar na carreira freelancer sem um dinheiro guardado sabe?

    ResponderExcluir
  19. Não sei se vc conhece São Paulo mas,
    aqui é uma cidade absurdamente cara de se viver e presumo que em BH é mais barata principalmente moradia...

    ResponderExcluir
  20. Rodrigo,
    Conheço SP sim, mas BH é muito cara, acho até que mais que SP em alguns aspectos... pra comida por exemplo.
    Em Londrina (onde morei sozinha por 7 anos), eu vivia tranquilamente com o salário que eu ganhava (que era pouco), e se eu tivesse sido freelancer naquela eu poderia ter tido uma vida bem mais confortável.

    ResponderExcluir
  21. Carrie,
    Hehe, engraçado que este post estava agendado desde que sai de BH, quando li o seu post nesta semana eu pensei: ela vai se identificar. ;-)
    Acho que todos tem este "chamado" em busca da felicidade, e garra é oq não falta pra vc. ;-)

    ResponderExcluir
  22. Eis um sonho de consumo...
    Um dia também chego lá, mas enquanto isso tenho que aguentar esse computador caquético.

    bjs

    ResponderExcluir
  23. Também cansei das paredes e de apertar parafusos, e agora procuro um novo caminho, meu caminho. Ando insegura e não confio muito na minha criatividade... mas, de fato, voltar para aquele ambiente, não dá.

    ResponderExcluir
  24. Marta,
    Eu não me vejo trabalhando desta forma mais. Nem que fosse na melhor empresa do ramo sabe? a renda pode até ser melhor, mas não tem dinheiro que compre a minha paz.

    ResponderExcluir
  25. Coisa de doido! Graças a... melhor, graças ao Google me livrei disso a muito tempo! hehe também não me imagino mais trabalhando entre paredes beges, é totalmente brochante, e realmente atrofia o cérebro, não me vejo mais sem acordar as 4 da manhã com uma puta idéia e correr pro computador, hehe.
    Excelente post, muita gente deveria ler pra ver se abrem um pouco as ideias, e deixam de ser apenas "macaquinhos" nas empresas.

    ResponderExcluir
  26. Rodolfo,
    As pessoas deviam deixar de serem macaquinhos nas empresas e as empresas deviam parar de fazer funcionários macaquinhos, hehe. ;-)

    ResponderExcluir
  27. Espero um dia poder dizer tudo isso! Aguardo ansiosa o dia em que sairei dos escritórios....ainda estou olhando pra parede bege! :/

    ResponderExcluir
  28. Ao invés de ficar reclamando fez do seu jeito. Hackeou o esquema todo.

    ResponderExcluir
  29. O que vc fez? chutou o balde?
    sou jornalista e estou nesta situação. AFF!

    ResponderExcluir
  30. Lila,
    Acho importante passar pela parede bege pois a gente aprende a fazer do limão, limonada.

    Guilherme,
    Ah, tem que sair da corrida dos ratos. ;-)

    Fernanda,
    Uma seqüencia de coisas: terminei um namoro ruim, mudei de cidade, casei com um homem bacana e dei o primeiro passo para minha carreira de freelancer. O segredo é ter paciencia. Se a pessoa tiver pressa de ver resultados se frustra rapido também.

    ResponderExcluir
  31. Sinto a mesmíssima frustração. Acabei de largar uma grande empresa para apoiar um projeto revolucionário em uma startup em que trabalharei de bermuda. Pode dar muito certo, pode dar muito errado.

    A empresa em que trabalhei é monopólio de mercado nas telecomunicações de Sampa (leia-se: ganha dinheiro pra ca__lho) e por um absurdo egoísmo administrativo/financeiro passei por situações igualzinhas as do mouse: cadeiras quebradas, monitores CRT velhos, máquinas (désquetópi, meo dels) pra lá de defasadas... enfim, uma coisa totalmente sem lógica. Um belo dia eu simplesmente não conseguia mais levantar da cama para ir pro trabalho de desgosto.

    Mas confesso que largar carteira assinada e certa estabilidade dá um friozinho na barriga. Essa institucionalização deixa a gente acomodado (adestrado?) e tenho certeza que o estatuto do funcionário público cria funcionários mais acomodados ainda. Um amigo meu, webdesigner, em poucas semanas de funcionalismo público pediram para ele ir mais devagar no trabalho porque senão "queimava o filme" dos demais. Não muito depois ele largou esta vida.

    Excelente post, beijos

    ResponderExcluir
  32. Lex,
    E assim caminha a humanidade. :-/
    As empresas não querem que a vida pessoal interfira na profissional, mas estão pouco se f*dendo se a profissional acaba com sua vida pessoal :-/

    ResponderExcluir
  33. Cara.. que site show.. Estava lendo sua biografia e cai aqui..

    ResponderExcluir
  34. Ila sua história é muito bonita,fico muito feliz por existirem pessoas assim como vc,q faz com q as pessoas nunca desistam de correr atrás de seus sonhos.Bjs!!

    ResponderExcluir
  35. concordo em gênero e grau e pra falar a verdade sinto que essa constatação tem feito me perder o sono, tenho pensando no salário e na segurança do emprego atual, mas fico pensando na alegria de fazer algo que realmente amo, em um ambiente em que me sinta valorizada, com suporte para a criatividade, tem dias que fico frustrada pensando que sempre poderia ter feito melhor tanto por minha culpa pela falta de estímulo que tenho tido. Tomara que eu consiga encontrar o caminho como vc!!!

    ResponderExcluir
  36. Adorei seu blog e este artigo.
    Sei bem o que você passou. Viver de arte não fácil principalmente no Brasil.

    Requer muita força de vontade e disciplina e principalmente amar muito o se faz.

    Como músico e arranjador (durante toda minha vida) e nestes últimos 10 anos como escritor haja persistência.

    Um grande beijo neste coração lindo. E, claro, parabéns.

    Jorge LCF Lennon

    ResponderExcluir
  37. Ila, é horrível msm, passo por isso como estagiário. Esperam tanto da gente mas não contribuiem, acorda cedão e ficar na rotina não é mole não!

    ResponderExcluir
  38. Li sua historia e achei D+! ahah!
    quero fazer tambem uma faxina na minha vida... por onde você começou a sua? Qual foi o primeiro passo seu? haha Bjs! adoro seu trabalho!

    ResponderExcluir
  39. Oi Kamikasi!
    Hahah acho que cada um precisa fazer a faxina de um jeito, no meu caso eu terminei um namoro que não me fazia bem (o cara era controlador, ciumento, egoísta, etc etc etc). A partir dali foi tudo melhorando. ;-)

    ResponderExcluir
  40. Muito boom!!! É o tipo de texto para se mudar o foco de vida. :)

    ResponderExcluir
  41. Maravilhoso! Acabei de receber uma proposta para ser prestadora de serviço em uma empresa de engenharia, esse é realista e motivado. Mesmo acreditando que algumas empresas irão valorizar o capital humano e criativo nos próximos, nada como ter seu próprio negócio ou/e ser seu próprio negócio. =)

    ResponderExcluir
  42. Legal é ler esse post e hoje ver que sou eu que me encontro na sua situação de 5 anos atrás hoje! Sim... eu quis tentar mudar de área, primeiro, não desmerecendo os professores, mas eu fui obrigada a trabalhar nessa área por 10 anos, simplesmente porque minha família passava dificuldades e eu tive que encarar o concurso que eu fiz e passei... ¬¬ Adiei pra caramba o que eu realmente queria fazer, para depois desses 10 anos passar por 2 empresas que são o retrato exato do que você disse a 5 anos atrás... Hoje eu penso seriamente em chutar o balde de vez e parar de me matar por migalha. Porque se não bastasse você se matar pela empresa a troco de fiapo, tem a questão da minha saúde mental que está indo pro saco... Acho que tive minha experiência, pra por no currículo mesmo, aprendi muita coisa nesses 2 anos, mas acho que já deu, é hora de aproveitar meu talento pra outras coisas... Desculpe o desabafo Ila, mas você é uma grande inspiração para mim, todos os dias quando eu vejo o seu blog eu me motivo a continuar lutando para ser como você, pois você me dá esperanças... e eu preciso de muita ultimamente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, super apoio! Fico feliz de ver que sou um incentivo.
      Infelizmente a relação custo benefício de trabalhar pros outros muitas vezes não é boa. É muito stress pra encher o bolso dos outros. Enfim, tem que se fazer escolhas. Tem que se desapegar! :-)
      Não sei em que "setor" da ilustração você pretende trabalhar, mas se precisar tirar alguma duvida é só dizer! ;-)

      Excluir
    2. No educacional mesmo, tem muita demanda e eu tenho certa experiência, pelo menos os 10 anos na escola sofrendo serviram pra algo né?

      No meu caso além de ilustras pra livros didáticos também sei fazer animações para jogos em flash, que também podem ser convertidas para serem usadas em jogos em html5, que é a vedete do momento (seu marido vai entender muito bem, ahahah).

      Eu tenho um ótimo equipamento em casa (falta uma cintiq, hahaha), que eu fui adquirindo e montando aos poucos, com ajuda do meu marido que está na mesma situação que eu, já que é ilustrador também e tá de saco cheio tanto quanto, ahusahuha... é muita perca de tempo, dinheiro e saúde perder 4, 5 horas se deslocando para ganhar um salário de merreca, ainda mais que aqui no sul uma certa empresa fez escola de como explorar o funcionário até o tutano do osso e pagar pouco para ter um funcionário que trabalhe por 10... (trabalhei nessa joça por um ano... foi tenso). Agora que todas viram que podem lucrar mais do que já lucraram, só se vê anúncio pedindo ilustrador que faça mil coisas, inclusive virar mortal carpado duplo, com um salarinho de dar dó...

      E eu tenho um agravante além de tudo... tenho artrite e claro que o fato de trabalhar 9 horas e meia na empresa e ficar horas em ônibus socado no trânsito infernal que virou esse de Curitiba ajudou um bocado... mas as empresas não estão nem aí se seu braço parece que vai cair de tanta dor, você está todo travado que manca pra burro e etc... o porteiro estava me contando agora que foi atropelado na sexta (ele tem problema na perna, manca bastante) e hoje já tava aqui no trabalho!! Fora outras coisas...

      Fora isso eu tenho meu projeto pessoal, que simplesmente brecou... impossível chegar em casa e conseguir pensar nele depois de todo o estresse do dia num lugar desses... e olha que no ônibus socado eu viajo na maionese com mil idéias... mas elas demandam tempo...

      Enfim, espero que eu possa virar o jogo em breve... acho que temos muito potencial para ficar preso nessas paredes insossas, cheias de limitações, regras imbecis e exploração sem fim... enchendo bolso de outras pessoas com o nosso suor...

      Obrigada por mostrar que tudo é possível!

      Excluir
  43. eu trabalhava em um hospital... Agora trabalho em um parque aquatico. Qualidade de vida!

    ResponderExcluir
  44. Oi meu nome é Felipe e na minha opinião você é a prova viva de que é possível fazer o que os outros dizem que não ( porque na verdade não conseguem ).

    Estou naquele momento de cobranças da faculdade (já vou fazer 20), trabalho com informatica, mas não é lá essas coisas, sempre gostei de desenhar dede pequeno, mas tenho dúvidas quanto a uma profissão, estive pensando muito em ilustração ultimamente, já que sou péssimo em exatas, rs

    Tenho um certo arrependimento por não ter dado continuidade a fase de desenho na adolescência, será que é tarde demais para tentar algo ? Aprender as técnicas do 0 e depois fazer uma facul ? Tenho muita facilidade com linguas, penso que poderia conseguir um bom emprego, até ter condições de trabalhar em casa se conseguisse dominar uns 2 ou 3 idiomas ( não tenho muitas condições de acesso a rede sabe ).

    Penso em guardar algum dinheiro para um cursos técnico se algo der errado e me lançar nesse meio, rs

    Você sabe como anda o mercado para Designers Editoriais ?

    ResponderExcluir
  45. Isso mesmo !!! parece um flash da minha vida...Mas graças a Deus e o talento que nos deu trabalhamos em casa sem patrão e usando 100% de nossa criatividade todos os dias. Poder acordar no horário que quiser, claro que nem sempre é possivel ( dia dos namorados foi loucura ) mas poder tomar café e almoçar bem todos os dias isso não tem preço....sem trânsito...e se for bem remunerado então é pra poucos. Viva nóis....kkkkk

    ResponderExcluir

Para orçamentos, por favor envie um pedido com maiores detalhes, através do meu e-mail profissional ilafox@gmail.com

Ah, e obrigada pela visita e pelos comentários! :-D

Ila Fox
Ilustradora