sexta-feira, 1 de maio de 2015

Sou uma pessoa antiga #43

sou da ultima geração analógica, sou uma pessoa antiga, eu escrevia cartas, eu escutava rádio, grava fitas, saudosismo, by ila fox

Quem está na faixa dos 30 anos sabe bem o que foi viver na era pré-digital. Vimos a comunicação se desenvolver e a internet nascer. Caramba, posso dizer que fomos a última geração analógica!

Somos do tempo que ter um telefone em casa era um luxo para poucos. Se hoje você pode comprar um chip de celular por 5 reais na banca de jornal, naquela época o preço de um número girava em torno de 15 mil reais! Era um bem de família! Na falta de uma linha particular o negócio era apelar para um telefone público. Fazer uma ligação também era um exercício de paciência, tinha que ir girando o discador e torcer para não errar e voltar do começo. E quem nunca ficou plantado ao lado do telefone esperando por uma ligação não sabe o que é ansiedade! Daí dá para imaginar como os celulares foram libertadores né? De repente você podia atender seu telefone até no banheiro! hehe.

Para mandar uma simples carta era preciso uma boa dose de coordenação para escrever com letras caprichadas, boa vontade de ir aos Correios, e muita paciência enquanto o carteiro não voltava com a resposta. E você aí com preguiça de escrever um simples e-mail heim?

A internet mesmo só chegou lá em casa em 2000. Ainda lembro da primeira vez que acessei um site. Foi das Spice Girls numa aula de informática (alguém ainda faz isso?). Naquele tempo a internet era discada, além de ser uma carroça de tão lenta, você não podia ficar online o dia todo, pois era como uma ligação telefônica. Era comum esperar até meia-noite para conectar mais barato e não levar um susto com a conta no fim do mês.

Poderia passar horas falando sobre os perrengues da minha geração analógica. Sobre esperar a música tocar na rádio para gravar. As fitas das locadoras que tinham que ser rebobinadas. Os filmes das câmeras que queimavam impiedosamente. Os trabalhos de escola sem a ajudinha do Google...

Pense em todas as limitações daquela época e como ela nos preparou para a vida, num exercício diário de paciência e resignação. Como vai ser daqui pra frente, com a geração que já nasceu mergulhada neste mundo digital? Que efeito isso terá na humanidade nas próximas décadas? Fico pensando se esta nova geração não se tornará ansiosa e distraída demais com o excesso de informação...

Nunca se teve tanto acesso aos meios de comunicação como hoje, no entanto nunca sofremos tanto com a falta de comunicação. Em tempos de redes sociais, nosso lado social esta definhando. Hoje, amigo é aquele que dá like, e não o que dá um abraço.

7 comentários:

  1. Puxa,Ila.
    Você conseguiu descrever exatamente como me sinto nessa era moderna!
    Parabéns e adoro seu trabalho,apesar de não comentar muito.

    ResponderExcluir
  2. Nostalgia total, muito bom! Eu sou da era anterior a analógica, me deu saudades das minhas máquinas Olivetti (manual e elétrica) . Show sua postagem.

    Jorge Abreu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho saudades não, hehe X-D

      Excluir
  3. Direto do túnel do tempo... rs Nossa, quantas mudanças tivemos num curto espaço de tempo heim? Realmente hoje a tecnologia facilita bastante nossas vidas. Contudo,como foi muito bem colocado, devemos ficar atentos com os excessos.
    Adorei o Post!!

    Beijos Ila!

    Mônica

    ResponderExcluir
  4. Super ILa!
    Depois de muito tempo sem aparecer por aqui, cá estou eu de novo! (sorry, for taking soooo long..:)
    Esse texto descreveu certinho o que passamos e estamos passando.
    Gosto muito do conforto que a tecnologia nos trouxe, mas o que eu gosto mesmo é do olho no olho, de partilhar um café e do abraço que aquece a alma.
    Abração procê!
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  5. Super ILa!
    Depois de muito tempo sem aparecer por aqui, cá estou eu de novo! (sorry, for taking soooo long..:)
    Esse texto descreveu certinho o que passamos e estamos passando.
    Gosto muito do conforto que a tecnologia nos trouxe, mas o que eu gosto mesmo é do olho no olho, de partilhar um café e do abraço que aquece a alma.
    Abração procê!
    Sucesso!

    ResponderExcluir

Para orçamentos, por favor envie um pedido com maiores detalhes, através do meu e-mail profissional ilafox@gmail.com

Ah, e obrigada pela visita e pelos comentários! :-D

Ila Fox
Ilustradora