quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz 2010!

Ilustração, ano novo, fogos, feliz ano novo 2010

Que em 2010 a gente só tenha motivos para comemorar...

… que eu desenhe cada vez mais
… que eu procrastine cada vez menos
… que o Vinil continue este gato companheiro
… que o Miucho continue bebendo água do potinho
… que o Ricbit escreva muitos posts
… que meu blog tenha cada vez mais acessos
… que eu ganhe cada vez mais dinheiro com meus desenhos
… que eu conheça muitos lugares bonitos
… que eu tire muitas fotos legais
… que eu comece uma academia
… que eu coma mais coisas saudáveis
… que eu beba menos Coca-Cola
… que meu casamento continue feliz e em paz
… que 2010 seja o melhor entre todos os anos que já passaram!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Retrospectiva 2009

2009 foi um do anos mais surpreendentes da minha vida até hoje, fiz coisas que nunca imaginei que fosse fazer neste ano! Uma palavra para definir 2009 seria: Transformações!

ila fox e ricbit casamento no vaticano em 2009
Beijo de casamento no Vaticano

Logo em Janeiro fui pedida em casamento. E então, numa manhã de Maio, eu disse “sim” para o Ricbit numa cerimônia civil. Longe da correria estressante de um casamento convencional. Longe de vestidos, igreja, buffet, músicas bregas e convidados bêbados.

Engraçado né? logo eu que não tinha vontade de casar… ou melhor, que nunca tinha sido convencida disso. Às vezes me pego pensando na nova vida, e tento entender o que foi que aconteceu. Sim, porque um ano antes, eu estava saturada de relacionamentos. Cansada de todos aqueles tipinhos que passaram pela minha vida. Queria ficar sozinha. Estava feliz com meus amigos. Sem aquela necessidade de estar com alguém. De ligar para dar satisfação da ausência (e da presença). Sem ficar à mercê de um pití de ciúmes. Me senti livre, leve e solta!

E aí que conheci Ricbit, que foi um querido e mudou tudo! Pela primeira vez eu estava num relacionamento que só me fazia bem. E exatamente oito meses depois de conhece-lo, nos casamos.

Então que cruzamos o mar juntos. Seguimos para a Europa em lua de mel.

ila fox e ricbit foto na frente Catedral de Notre Dame em Paris 2009
Na frente da Catedral de Notre Dame em Paris

Fui para Paris, onde passeei de mãos dadas pelo jardim de Tuileries e na beira do rio Sena. Conheci o museu do Louvre com todas suas obras centenárias. Fui até o arco do Triunfo. Andei faceira pela Champs-Elysées. Tomei um chocolate quente no alto da Torre Eiffel. Comi um crepes de chocolate ao lado da catedral de Notre Dame (onde subi 400 degraus só para conhecer o famoso sino). Fui na igreja de St. Chapelle e me maravilhei com os vitrais. Também fui no Cité des Sciences, no barzinho da Amelie Poulain e no Moulin Rouge. Segui de trem para Roma, onde vi o Coliseu despontar na saída do metrô me deixando embasbacada. Vi a Roma antiga e fiquei imaginando tudo que deve ter rolado por lá no passado. Joguei moedas na Fontana di Trevi e fiz vários pedidos. Tomei muito gelato. Conheci o pior museu de cera do mundo. Fui na capela Sistina, no Vaticano e em todos aqueles lugares que eu só tinha visto nos livros de história. Meus olhos se deleitaram com a paisagem da ilha de Capri. Tomei o autêntico Lemonchelo. Vi o Vulcão Vesúvio. Andei mais do que nunca em 15 dias. E voltei firme e forte para o Brasil, pronta para as grandes mudanças que estavam por vir!

ila fox, ricbit, miucho e vinil, foto de familia
Vida nova com Ricbit, Vinil e Miucho

Foi quando mudei não só de cidade, mas de estado. Sai de Londrina. Larguei meu emprego. Vendi minhas coisas. Me despedi dos amigos. Enfiei meus gatos numa caixa de transporte e me mandei para Belo Horizonte, ufa! Vida nova, tudo novo.

Comecei um blog. Retomei meus desenhos. Virei ilustradora profissional e estou adorando isso!

Fiz novos amigos. Visitei velhos amigos. Visitei minha antiga casa em Londrina. Visitei a família. Fui em festas de criança, de adultos, em encontros de ilustradores, happy hours, churrascos…

Também tive um dia de luxo, poder e glamour. Virei modelo e fui clicada pelo Thiago Mota sob supervisão do Bressane. Um momento diva sabe?

foto ila fox modelo
Como uma Deusaaaaa

Nos 45 minutos do segundo tempo, decidir passar o Natal com minha família no interior. Voltei pra casa renovada, pronta para começar um ano novo de muita inspiração e alegria, ao lado do Ricbit e dos gatos!

Sabe, são anos como este, que me levam a acreditar que, às vezes, a vida é como um filme. Cheia de altos e baixos, antes de encontrar a verdadeira felicidade! E que venha 2010!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A Casinha em que Morei - 4/4 Final

tulipas no sol da manhã da casinha tomazina, pintura em aquarela digital by ila fox
Tulipas no sol da manhã - Pintura em aquarela digital

Quando me mudei para Belo Horizonte, passei a sonhar direto com minha antiga casa. Como se ainda estivéssemos ligadas. Seria a correria que atrapalhou o processo de desapego?

Somente quatro meses depois que eu pude me despedir de verdade da casinha. Foi numa viagem de ultima hora, antes de ir pro interior visitar meus pais.

Naquela manhã estava chovendo como no dia que a conheci. Desci a rua e lá estava ela com seu número desbotado - vinte e sete – a minha idade, pensei. Fiquei frente a frente com o portão. Deu um certo nervoso tocar a campainha, aquela mesma que sempre me assustava. O som ecoou pelo corredor – Argh, nunca me acostumei com aquele barulho. Ao invés do meu gato vieram três cachorros serelepes. A dona, uma simpática moça, que também era artista plástica, veio me receber.

Tenho que dizer que foi curioso ver outra pessoa morando lá. Não existia mais o sofá verde-limão, nem os quadrinhos, nem as hortelãs no jardim, nem meus gatos, nem a Ila de quatro meses atrás. Era outra casa, com outra história pra contar.

Cheguei a conclusão que "a minha casinha", só existia enquanto eu morava dentro nela. Mas hoje é ela que mora dentro de mim, nas minhas lembranças.

E depois dizem que não existe uma ligação forte entre as casas e seus moradores...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Can You Feel it?

Clipe can you feel it - Jacksons five by ila fox
Can you feel it, can you feel it, can you feel it??

Um dos primeiros clipes que me lembro de ter gostado, foi do surreal “Can You Feel It” dos Jacksons Five.

Não sei se era por causa da música, da paisagem, dos efeitos especiais, ou daquele visual dos anos 70… só sei que quando este clipe passava, eu parava tudo que estava fazendo para ver os Jacksons jogando purpurina nas pessoas. E eu achava o máximo.

Bom, mas o que importa é que estes dias eu acordei com esta música na cabeça, e então fiz um desenho representando toda aquela aura fantástica, que só o Michael Jackson era capaz de fazer. Sim, o conceito do clipe foi dele! de quem mais né?

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

A Casinha em que Morei - 3/4

pé de babosa, aloe vera, pintura em aquarela digital by ila fox
O pé de Babosa florido - Pintura em aquarela digital

Quando Ricbit me pediu em casamento, senti que meus dias na velha casinha estavam contados. E parece que ela também sabia disso. As coisas começaram a se quebrar por lá. Ela estava brava com a minha desfeita. Queria que eu ficasse.

Como se não bastasse a correria básica de uma mudança, e faltando menos de um mês para morar a 1.000 km dali, um feladaputa de um ladrão furtou minha casa enquanto eu viajava. Me senti invadida junto com ela. Isso apressou meus planos, não queria ficar mais nenhum segundo ali. No fim, a mudança foi rápida demais, rápida o suficiente para não dar tempo de me preparar psicologicamente para a partida.

No meu último dia na casinha, só me lembro de olhar pela janela e ver as flores do jardim. Nunca, em cinco anos, o pé de Babosa tinha dado tanta flor.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Assassin's Creed

ilustração assassin's creed, altair não saber nadar by ila fox
Este mês Ricbit está jogando Assassin’s Creed. Um jogo de ação, onde você controla Altair, um assassino que persegue / rouba / mata figuras históricas do tempo das cruzadas.

Mas o mais engraçado é que, mesmo sendo ágil como um acrobata do Cirque du Soleil, ele não consegue nadar! Então, se no meio de uma fuga, tu cair no mar. Já era mermão. Perdeu!

Fiquei rindo sozinha, só de imaginar um cara tão ameaçador, tendo um fim tão patético, hehe.

p.s - Ainda bem que este "problema" foi corrigido no Assassin's Creed 2!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A Moda da Tarja Preta

uso indevido de remédios de tarja preta

De tempos em tempos, volta à tona uma antiga discussão sobre o uso e abuso de medicamentos, em especial os de tarja preta.

Antes de tudo, quero dizer que o problema não está no medicamento, e sim no uso descontrolado dele.

Se o remédio foi recomendado por um médico, beleza. O problema são aquelas pessoas que tomam isso como se fosse bala de tutti-frutti, sabe? “Porque a amiga da prima da vizinha tomou e achou muito bom”. Sem receita e sem vergonha na cara de seguir um tratamento.

O indivíduo está com insônia, ansioso, um pouco agitado? Tarja preta! Esta desanimado e com preguiça? Tarja preta! Está feliz? Tarja preta! Juro que já vi gente ter até um certo orgulho de dizer que tomava medicamento controlado sem receita! Vai ver achava chique.

O tarja preta se tornou um adereço comum nos dias de hoje. Um item da moda. O novo pretinho básico.

Isso sim é o mal do século.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Quadrinhos da Késia e João Paulo

Convite em história em quadrinhos personalizados para casamento, capa convite, noivos, mangá by ila fox
Retrato divertido feito para a capa do convite

A Késia e o João Paulo moram lá em Manaus! e queriam um convite original e criativo para o casamento deles. Então que me chamaram para fazer um convite em quadrinhos! E modéstia à parte, ficou muito legal!

O casal, além de lindo, tem uma história e tanto, olha só:
convite em história em quadrinhos personalizados para casamento, história noivinhos, Manaus e Rio de Janeiro, by ila fox
convite em história em quadrinhos personalizados para casamento, história noivinhos, Manaus e Rio de Janeiro, by ila fox

Uma história em quadrinhos também pode ser um ótimo presente! imagine que bacana ter uma história sua e do seu amor? Ou dos seus pais, amigos, cachorrinho de estimação. Demais né?

E aí, já sabe o que vai dar para aquele alguém especial?

A Késia também deixou um depoimento aqui nos comentários, obrigada!

"Ila, Passei aqui para agradecer essa produção belissima do nosso convite!!! Retratou muito bem nossa história... Foi m sucesso entre os convidados... bjaum e até a próxima!!
Késia Cordeiro Belarmino"

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Recordar é Viver #2

ilustração quando era criança gostava de ficar doente só para ser mimada by ila fox

Ficar doente só tinha graça na infância. Quando Mamãe passava vicky no meu nariz e depois fazia uma sopinha para me animar. Tempo bom aquele.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A Casinha em que Morei - 2/4

a sala e o sofá da casinha tomazina, pintura em aquarela digital by ila fox
O sofá verde-limão - Pintura em aquarela digital

Ter seu próprio canto tem inúmeras vantagens, que vão desde poder andar pelado pela casa, à escutar Madonna no volume máximo durante a faxina. A parte ruim é que é sempre sua vez de lavar a louça. Nhé.

Mas a grande verdade é que a primeira casa com gostinho de independência a gente nunca esquece. Principalmente se você passou cinco longos anos de sua vida nela, como foi meu caso.

Ok. Não vou dizer que todos os dias naquela casa foram de felicidade total. Mas no momento prefiro me recordar somente dos momentos especiais.

Ainda lembro, com clareza de passar as mãos, das pombinhas que vinham comer migalhas no quintal. Do primeiro bolo que deu certo. Do sofá verde-limão com os quadrinhos combinando. Do cheiro das hortelãs no meu jardim. Da cor do céu ao entardecer. Do gambá que morava no forro. Da campainha que sempre me assustava. Do meu gato que vinha correndo para me receber no portão. Do barulho do portão…

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Eu Odeio #2

odeio quando peço uma coisa e a vendedora traz outra - ilustração

Eu respiro fundo cada vez que preciso entrar numa loja. É sempre um teste de paciência, pois poucas coisas são mais irritantes que vendedores que ficam em cima de você, que te elogiam muito, que te chamam de "amiga", que mal conhecem o que estão vendendo, que tentam te empurrar o que você não pediu... Já deixei de ir em muitas lojas por causa dos vendedores.

- Oi, eu queria ver um vestido de verão...
- Amiga, chegou uma calça jeans linda esta semana, super tendência!

Argh!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Carapuças #4

carapuça, ele gosta de homem mas ainda não percebeu isso, ela está noiva há muitos anos, mas não quer se casar, by ila fox

Essa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a realidade é apenas uma coincidência!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Ila em Fatos #3

Ila em fatos: eu não sei dirigir - ilustração

Não sei dirigir e parte disso se deve ao fato de eu não dar a mínima pra carros.

Mesmo tendo feito aulas de habilitação aos 18 anos nunca me interessei em praticar. Também nunca pensei em comprar um carro, mesmo casada, com 30 anos e com uma boa renda. Talvez pelo fato de trabalhar de casa, de não ter filhos e de não me importar com o falso status de ter um carro na garagem. As poucas vezes que precisamos nos deslocar vamos a pé ou chamamos um táxi. Quando necessário também apelamos para transporte público sem problemas.

E já que toquei no assunto... esta paixão nacional pelos carros é uma grande ilusão coletiva de segurança e mobilidade! Vejo as ruas cada vez mais cheias de carros, o transito cada vez mais parado, o povo cada vez mais estressado, o clima cada vez mais poluído. A pessoa tá lá cheia de dividas mas compra um carro zero porque acha bonito. Depois quer exibir o carrinho financiado até pra ir na padaria, deixando o transito cada vez mais caótico. Vejo construtoras vendendo apartamentos com SEIS VAGAS de garagem! Gente, onde isso vai acabar?

Tava na hora do Brasil depender menos dos carros e investir mais em transporte público...

Bom, poderia citar inúmeros motivos pelas quais eu não me empolgo em virar uma "Ila motorizada", mas meu amigo Chester já fez isso, vale a pena ler o post dele!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Animais em minha Vida

Para mim, nenhuma experiência na vida é mais gratificante que a de conviver com animais. Eles não falam mal de você, não te desrespeitam, não mentem, não sentem inveja, não querem desenho de graça, não pedem dinheiro emprestado e ainda por cima, são os primeiros a te receber quando você chega em casa.

Ninguém tem dúvidas de que os animais domésticos são grandes companheiros.

Durante minha vida inteira tive vários bichinhos, alguns me acompanharam por muitos anos, outros tiveram uma pequena participação. Mas com certeza me lembro de todos com muito carinho.
animais de estimação em minha vida, nome de animais de estimação, gatos, cachorros, esquilos mongólia, cavalo, galinha, gambá, sapo, rato, pássaro, pombo, peixes, lebistes, peixe beta, peixe dourado, caranguejos, ilustração by ila fox
Moleque - Um Chihuahua que devolvemos porque era temperamental demais.
Negão - Um pássaro preto. Eu e meu irmão aprendemos a assobiar com ele.
Ratinho - Me lembro do meu pai passando remédio nele.
Bruna - Apareceu em casa no dia do meu aniversário de 7 anos.
Catita - Pegamos de uma cria que estava para adoção.
Madonna - Filha da Catita e Dennis, o cachorro da cabeleireira.
Fifi - Gatinha que apareceu em casa, toda sarnenta e machucada.
Pity 1 – Filhote da Bruna, nasceu na minha cama.
Pity 2 – Filhote do Pity 1 com Fifi. Sumiu numa mudança.
Um – Nossas cachorras o atacaram, e nós cuidamos dele. Era surdo, só miava “UM”.
Pinguim – Pombinho perdido que apareceu em casa. Depois achamos o dono.
Caranguejos – Ao todo, foram 35 que viviam num aquário. Morreram num triste dia de inverno.
Lady – Poodle que ganhei de presente de aniversário de 10 anos.
Pomboneco – Pombinho que peguei na escola e ensinei a voar. Catita e Madonna assassinaram, o pobre coitado. Snif.
Misty – Gata adotada pela cachorra Lady. Mamou nela e tudo.
Neguinha – Pegamos da rua, sempre foi assustada pois viu outro gatinho morrer na frente dela.
Bombonzinha - Era uma gata prodigío. Aprendia truques facilmente.
Madruga - Era muito filhote e desnutrido. Cresceu e virou um gato maternal.
Chupa-Cabra - Era feia, tadinha. E fazia cocô, peidava e ficava em pé ao mesmo tempo.
Goopy – Presente de 15 anos da minha Tia Cássia.
Anna Julia – Filhote da Misty. Suspeitamos que já foi abduzida pois um dia ela sumiu e voltou assustada.
Ruinzinha – Minha amiga Mirelle achou na rua e trouxe para mim.
Toisinha - A noiva do meu primo salvou ela de umas crianças malvadas e me entregou.
Lebistes - Um aquário com uns 50. Eles procriavam, era muito bonitinho.
Brioche – Foi encontrado dentro de uma caçamba de lixo.
Pock e Rock – Peixinhos que se mudaram para Londrina comigo.
Paçoca e Dadinha – Esquilos da Mongólia que roíam de tudo.
Pocotó - Sofria maus tratos então foi resgatado, hoje mora no sítio.
Sapopão – Sapo que morava no quintal de casa. As vezes aparecia embaixo da minha cama.
Naru – Akita que meus pais cuidaram por um tempo até achar outro dono.
Zecão – Cachorro da rua que nos adotou como família dele.
Rubico – A mãe persa cruzou com viralata. A dona estava doando pois não poderia vender.
Cinzeirinha - Adotei para fazer companhia pro Rubico. Foi seqüestrada por uma velhinha.
Nana e Chiquinha – Galinhas adotadas para dar fim nos caramujos do nosso quintal. Hoje ela moram num sítio. Livre, leve, soltas e cacarejantes!
Vinil – Achei na rua enquanto ia pro trabalho. Mora comigo.
Miucho – Filhote de uma gata que tinha dado cria no meu trabalho. Mora comigo.
Lindinha – Resgatada das ruas. Cuidei até encontrar outro dono. Hoje mora num sítio.
Pedrita – Achada num salão de festas. Cuidei e levei numa loja de animais para doação.
Atum – Uns amigos encontraram na rua e me entregaram. Era muito bebezinho.
Bisteca – Gatinho da rua. Teve um fim foi trágico antes que eu pudesse encontrar um dono pra ele, snif.
Faísca – Filhote da Anna Julia com Atum.
Belinha – Filhote da Anna Julia com Atum. Morreu envenenada junto com o pai.
Pepe – Gambá que morava no forro da minha casa em Londrina.
Cinzo – Um gato que me chamou na árvore. Apareceu e sumiu misteriosamente.
Sofia – Um poodle abandonado na beira da estrada. Estava muito machucada. Hoje mora com meus pais.
Bebel – Gatinha preta que meu pai encontrou na rua. Hoje mora com meus pais.
Tatuzinha – Foi encontrada atropelada na rua. Meus pais resgataram mas um dia ela sumiu.
Atum Peregrino – Neto do primeiro Atum, e filho da Tatuzinha com o Faísca. Meus pais se mudaram mas ele foi embora para peregrinar pelo mundo.
Belinha 2 – Quando nasceu era muito parecida com a Tia Belinha, irmã do pai Faísca.
Rabisco – Um dos filhotes da ninhada temporária que cuidamos. Ricardo queria um gato desde filhote, então decidimos ficar com ele.
Luvinha – Um dos filhotes da segunda ninhada temporária. Eram 7 filhotes ao todo, mas morreram de fraqueza, sobrou somente ela, que mesmo indo para adoção, acabava voltando pra gente. Então decidimos adota-la!
Brisa – Gatinha que meu pai resgatou no trabalho dele.
Nina – Apareceu em casa. No começo meus pais não pretendiam ficar com ela, mas acabou conquistando todo mundo com seu jeito falante.

UPDATE: De tempos em tempos venho atualizar o desenho com algum novo ou antigo integrante. Os animais sempre terão mais espaço em nossas vidas!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A Casinha em que Morei – 1/4

a frente da casinha Tomazina, pintura em aquarela digital
A frente da casinha - Pintura em aquarela digital

Tem certas coisas que todo mundo tinha que ter o direito de fazer uma vez na vida: Brincar na chuva, comer fruta do pé, passar as férias na casa da vó, ter amigos na mesma rua, voar de avião e morar sozinho.

Morar sozinho não é a mesma coisa de quando seus pais viajam e deixam a casa livre no final de semana. Morar sozinho é muito mais que isso.

É a paciência de garimpar uma casa pra alugar. A responsabilidade de pagar as contas em dia sem ir à falência. De comprar os móveis, cada copo e talher, cada toalha de banho e tapete. Aceitar resignado aquela janela que não fecha direito. É cozinhar, lavar e passar.

Ah, e de vez em quando trocar uma lâmpada queimada também.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Adesivo Personalizado para Notebook

Dia desses estava olhando pro meu notebook. Tão branquinho, tão bonitinho. Parecia até um papel em branco, pronto para ser desenhado.

Foi quando tive uma ideia: colocar um desenho nele! e foi o que fiz. Mandei adesivar a mesma arte do blog, e voilà! Olha que lindo ficou.

skin adesivo personalizado para notebook

Imagine quanta coisa bacana dá para fazer e deixar seu notebook com a sua cara também? Já pensou que incrível ter uma arte exclusiva nele?